Divisões do sistema ERP

O ERP é dividido em 3 camadas:

  • Camada de apresentação: essa é a camada pelo qual o usuário terá acesso ao sistema, através de formulários e campos que devera preencher. Essa camada fará a comunicação interna com a camada de processamento lógico para efetuar processamentos e retornar para a tela ou salvar no banco de dados (database) do erp.
  • Camada de processamento lógico: Aqui encontraremos os processos empresariais que o ERP pode ter. Receberemos os dados que o usuário informa na camada de apresentação e integra com os módulos do sistema, retornando ao usuário uma resposta do que foi solicitado ou salvando no banco de dados. Toda integridade do sistema fica nessa camada, e sempre que for necessário inserir novas atualizações, processos empresariais, aprimorar o desempenho e a segurança do sistema, basicamente tudo feito nesta etapa. Para tal, é preciso mexer no código fonte do software, fazer uma nova programação e compilar novamente o programa, para que as novas funcionalidades entrem em vigor.
  • Camada de armazenagem: quando o usuário digita as informações na tela, vai para o processamento e posteriormente vem para essa camada, para ser salva em um banco de dados. O que garante que os dados fiquem gravados para ser acessados no futuro. Alguns softwares erp também permitem a exportação de dados do sistema para arquivos de excel, word, pdf, entre outros.

 

Funcionalidades básicas de um sistema ERP

Para entender melhor vamos relembrar processos que são essenciais para que um negócio funcione. Incluindo gerenciamento de inventário e pedidos, contabilidade, CRM entre outros.

Em seu nível mais básico, o sistema ERP integra essas várias funções em um sistema completo para agilizar processos e informações em toda a organização.

Vamos listar aqui algumas funcionalidades básicas de um sistema ERP:

  • Geração de notas fiscais e NF-e;
  • Emissão automática de boletos bancários;
  • Controle de estoque;
  • Contas a pagar e receber;
  • Emissão de relatórios;

A principal característica de todos os sistemas ERP é um banco de dados compartilhado que suporta várias funções usadas por diferentes unidades de negócios. Efetivamente, isso quer dizer que funcionários em diferentes divisões – por exemplo, vendas e financeiro – podem confiar na mesma informação para suas primordialidades.

Opções para grandes e pequenas empresas

O sistema ERP é um tipo de aplicativo ou software corporativo, no qual o software foi projetado para ser usado por grandes empresas e por vezes exige equipes dedicadas para personalizar e estudar os dados e lidar com atualizações e implantação. Contudo, não é a realidade de 100% do mercado. Há soluções para a pequena e média empresa. Assim, as necessidades do pequeno negócio nem sempre são atendidos por soluções voltadas para os grandes negócios.

Como declaramos anteriormente, as aplicações de ERP de pequenas empresas são soluções de software de gerenciamento de negócios leves, muitas vezes personalizadas para uma indústria de negócios específica ou vertical.

Saiba mais a respeito entrando em contato conosco!

 

Urgente: Indisponibilidade S@T 06/01/2018 e 07/01/2018

Conforme aviso da SEFAZ SP haverá uma instabilidade na transmissão dos cupons SAT nos dias 06/01/2018 e 07/01/2018, contudo, a instabilidade não impactará no uso do sistema, porém os cupons serão enviados para a SEFAZ SP somente após o fim da instabilidade, programada para o dia 08/01/2017.

Dicas para redução de custos!

  1. Organização no setor de Compras– Muitas empresas encontram dificuldade para explorar o potencial da área de Compras. Manter processos de aquisição bem planejados é uma das formas para reduzir consideravelmente os gastos. Também levamos em conta todas as aquisições recorrentes, os novos itens a serem comprados e incluir os projetos nesta conta.

 

  1. Classifique os gastos– É importante absorver todas as informações depois de estruturar os processos. Com os dados atualizados fixados, você consegue avaliar, por exemplo, onde é possível cortar gastos ou vale investir para obter um estoque de qualidade a longo prazo.

 

  1. Empregue um software adequado– Se você ainda não faz uso de um software para auxilia com a estruturação dos processos, não espere mais. Esta é uma consideração que o ajudará a economizar com transações futuras e, por isso, seu retorno será percebido rapidamente. Há muitas ferramentas que podem ajudá-lo, dê preferência para aquelas que exigirão pouca, ou nenhuma, dedicação de tempo da sua equipe interna. Bons softwares, além de tornar os processos mais hábeis e escaláveis, desoneram as equipes de compras. Os compradores podem focar, assim, em atitudes mais estratégicas para sua empresa, sem a necessidade dos trabalhos manuais.

 

  1. Selecione fornecedores com atenção– Além de priorizar fornecedores com os melhores prazos, é indispensável ficar atento à qualidade dos produtos e/ou serviços e o cumprimento das datas de entrega para não gerar problemas posteriores, tais como interrupção no fornecimento ou prejuízos econômicos. Na hora de escolher, outras condições devem ser analisadas, como saúde financeira, respeito às pessoas e ao meio ambiente, as normas da ISO, cobertura geográfica e a referência de outros clientes. Sabendo que nem sempre vale a pena trocar o fornecedor atual e homologado, quando pode-se tentar a renegociação do contrato vigente.

 

  1. Conduza os resultados– Devemos sempre analisar os resultados das negociações e o desempenho do setor de compras. É necessário para que haja correção de falhas e o aprimoramento dos procedimentos. É importante ter em mente que o setor de compras envolve processos de ciclos contínuos, que devem ser constantemente aperfeiçoados e analisados de perto.

 

Gestão de Estoques

Visando gestão de estoques em um contexto industrial, nos referimos à gestão de recursos materiais, que ajudam na organização e consequentemente gerará uma receita no futuro.

 

Gestão de estoques é importante?

Empresas que são voltadas para produção de bens dependem muito de um estoque bem organizado, por inúmeras razões, uma empresa com um bom sistema de gerenciamento de estoque só tende a crescer, toda empresa depende da produção e essa não sobrevive sem um gerenciamento de controle de estoques.

Na matéria de hoje citamos algumas razões para ter um bom sistema de gestão de estoques:

Atendimento ao mercado

A procura por produtos e serviços não é a mesma durante todo o ano, um exemplo é o mercado da moda, que tem uma demanda muito sazonal, cada estação exige um tipo diferente de roupas. Um estoque bem planejado, permite que a empresa se adeque as necessidades de seus clientes, e sabemos que a chave para aumentar a receita é o atendimento integral da demanda.

Continuidade

Uma gestão cautelosa permite que a empresa execute operações sem problemas, com continuidade. Uma fábrica de produtos que dependem de matérias-primas , tem que ter um bom estoque de matérias-primas, evitando assim contratempos.

Economia

Um sistema bem administrado, permite o corte de custos, um bom exemplo é quando chegam as épocas de festas, e a empresa espera um aumento na procura de determinados produtos, ela pode adquirir mercadorias em quantidade com antecedência, negociar preços e armazená-las para a temporada, consequentemente a empresa vai atender toda a demanda e quando se compra em quantidade com planejamento conseguimos mais descontos.

Princípios da gestão de estoque

Previsão de vendas

Ser capaz de se organizar e conseguir prever quais bens e produtos vendem mais em determinadas épocas do ano. Toda empresa deve manter um sistema de inventário com base nas vendas, reais e previstas.

Monitoramento:

Um estoque monitorado resulta na exatidão da quantidade em estoque. A empresa deve ter esse controle em qualquer ponto específico no tempo.

Armazém:

Um armazém em boas condições mantém o estoque organizado e evita que haja desperdício, o que só colabora para o aumentos de receitas.

A Gestão de controle de estoques é um desafio para as empresas, mesmo antes que uma empresa comece suas vendas, seu lucro ou prejuízo pode ser atribuído ao gerenciamento de seu estoque.

 

Por que devemos implementar o sistema ERP

Porque ele nos apresenta uma maior visibilidade de todo o desempenho da organização ao promover a automatização de tarefas manuais, controle maior sobre as operações e otimização de processos, com controle redução de custos.

A implantação de um gerenciamento de informação como esse traz uma redução de despesas no geral. Os erros cessam. Os equívocos de sincronização de diferentes sistemas, por exemplo, deixam de existir. Com o ERP, a padronização entre os processos passa a se tornar presente.

O serviço de ERP projeta soluções para atender diversos fatores em processos empresariais. Sua implantação requer uma adaptação de processos para que o ele possa abranger processos já existentes. Não se deve esquecer dos processos atuais para implementar o ERP. Na verdade, antes de mais nada, o que deve ser feito são mudanças significativas nos processos da empresa para que o novo método seja aplicado.

Seu tempo de implantação varia de acordo com o tamanho da empresa e pode ser de três tipos: customização, consultoria ou treinamento. Esses tipos não precisam ser aderidos de uma só vez, pois são modulares. Eles devem atuar conforme a demanda do momento.

Saiba os benefícios de implantar um Sistema de Gestão Integrada!

Sempre buscamos maneiras práticas para organizar as informações de nossa empresa, principalmente quando é da sua responsabilidade encontrar soluções para a comunicação e produtividade para todos os setores de um negócio. É provável que você já tenha ouvido falar sobre os Sistemas de Gestão Integrada (SGI). Você sabe como eles podem alavancar suas vendas e facilitar os processos internos da sua empresa?

Primeiro vamos entender o que é um Sistema de Gestão Integrada:

Em resumo, se trata de um software que organiza todas as operações de um negócio, promovendo a comunicação e garantindo que as políticas e demandas internas sejam postas em prática, sejam elas pelo administrativo, compras e vendas e estoque, controle de qualidade, etc. Um sistema de Gestão Integrada é similar a um Enterprise Resource Planning (ERP) ou, traduzido para o português, Planejamento de Recursos Empresariais.

O Sistema de Gestão Integrada busca, primeiramente, um diagnóstico para as principais necessidades que o seu negócio possui. Depois disso é que se começa a implantar uma metodologia específica para promover mudanças – quais ações precisam ser feitas, quais métricas e indicadores precisam ser acompanhados, como o trabalho precisa ser reorganizado, entre outras coisas, para que assim, o sistema consiga impulsionar o crescimento da empresa.

Os benefícios trazidos ao implantar um SGI são inúmeros, vamos conferir alguns:

Mais qualidade de informação.

Se todos os departamentos e áreas da sua empresa estão inserindo e atualizando informações sobre a rotina dentro do software, consequentemente, qualquer pessoa da empresa terá um melhor conhecimento geral sobre o que é feito internamente.

Dessa maneira, um funcionário de vendas terá muita facilidade em saber como está o estoque de determinado produto por exemplo. Com todas as informações necessárias sobre o que acontece dentro da empresa, as pessoas poderão trabalhar com mais segurança e atingir objetivos com maior facilidade.

Padronização dos processos.

É preciso que seja feito um treinamento com todos os colaboradores para que utilizem o máximo de funcionalidades que o sistema oferece, para que assim o sistema de gestão possa ser implantado de maneira eficaz. Atualizar o status de vendas, processo ou projeto da empresa no software, acompanhar dashboards, analisar índices relevantes ao trabalho: tudo isso faz com que a empresa mantenha o software atualizado e padronizado. Isso significa um maior controle e produtividade do negócio.

Controle de estoque.

O estoque é sempre uma área impactante no negócio. Muitos controles podem ficar desalinhados, e a falta de organização leva à perda de produtos e insumos e a empresa acaba no prejuízo.

Talvez você não saiba que, ao automatizar seu controle de estoque com a ajuda de um SGI, além de conseguir eliminar esse tipo de gargalo prático, mas também planejar melhor suas demandas, reduzindo a quantidade de produtos em estoque e fazendo-o girar mais rapidamente.

Isso acarreta em uma disposição menor de infraestrutura para o estoque, com pagamentos aos fornecedores igualmente menores, porém, mais frequentes, tudo por meio de um controle de fluxo de caixa mais eficiente, baseado nas necessidades que a empresa realmente tem.

Otimização do processo de decisão.

Se há mais informação, se os protocolos são padronizados para toda a empresa e se um setor trabalho em prol do outro, existe, então, um melhor processo de decisões dentro da empresa. Por fim, existe uma implantação de um Sistema de Gestão Integrado que não só monitora, mas apresenta as informações essenciais para uma tomada de decisão mais rápida e assertiva, alavancando os resultados finais. Isso significa um maior controle da qualidade do trabalho, mais tempo para os funcionários desenvolverem outras atividades e uma maior agilidade para que a empresa possa crescer e se tornar resistente em um mercado tão competitivo.

PENALIDADES POR NÃO APRESENTAR O XML DAS NFes

Há penalidades para empresas que não apresentam o XML de Notas Fiscais eletrônicas (NFes). Isso ocorre quando há uma fiscalização no setor contábil da empresa e isso pode trazer problemas para o empreendedor.

Você não quer isso pro seu negócio, não é mesmo? Então vamos entender quais são as penalidades possíveis por não apresentar a linguagem de marcação correta da sua documentação.

Lembrando que XML é um acrônimo para Extensible Markup Language. Trata-se de uma linguagem de marcação desenvolvido pelo W3C, um consórcio internacional que cria soluções para a web.

Quando alguma transação comercial de compra ou venda acontece, as partes envolvidas dificilmente esperam que essa relação irá terminar em problemas e dores de cabeça para um dos lados. Por esse motivo, é raro encontrar clientes ou empresas que guardam todas suas notas fiscais. O ideal é não ter problemas nem com quem está adquirindo algo e nem com quem está fornecendo.

Quando a sua empresa é quem vende, não armazenar as notas fiscais da forma correta se torna ainda mais grave! Afinal, segundo a legislação brasileiras, a nota fiscal deve ser armazenada por 5 anos, que é o momento em que a dívida prescreve e empresas e o Governo já não podem cobrar dívidas atrasadas.

POSSÍVEL MULTA POR NÃO APRESENTAR XML.

Não armazenar notas fiscais pode acarretar em multas pesadas que podem passar de R$1.000,00 por XML de Nota Fiscal não apresentado numa fiscalização.
Justamente por isso, pela confiança entre determinados agentes, é difícil encontrar clientes ou empresas que guardam todas as suas notas fiscais. Este fato poderia facilitar a solução de qualquer problema que possa ocorrer. No caso das Notas Fiscais eletrônicas, é mais fácil de gerir suas informações. Especialmente através de ferramentas de Software que fazem esta função.

No caso das empresas responsáveis pelas vendas, não armazenar as notas fiscais segundo o método convencional pode trazer problemas graves. O cliente pode realizar uma compra e se equivocar futuramente quanto à algum item do produto da compra, é obrigação da empresa que realiza a venda provar, por meio de documentos fiscais, prazos de entregas, de garantias, devoluções e demais divergências que houverem.

PENALIDADE PODE CHEGAR A PRISÃO

A lei de número 8.137 prevê os crimes contra a “Ordem Tributária”. Lá se encontram as determinações contra a não apresentação de notas fiscais ou dos códigos XML da documentação eletrônica.

Diz a lei:

“Art. 1º Constitui crime contra a ordem tributária suprimir ou reduzir tributo, ou contribuição social e qualquer acessório, mediante as seguintes condutas: (Vide Lei nº 9.964, de 10.4.2000)

I – omitir informações, ou prestar declaração falsa às autoridades fazendárias;

II – fraudar a fiscalização tributária, inserindo elementos inexatos, ou omitindo operações de qualquer natureza, em documento ou livro exigido pela lei fiscal;

III – falsificar ou alterar nota fiscal, fatura, duplicata, nota de venda, ou qualquer outro documento relativo à operação tributável;

IV – elaborar, distribuir, fornecer, emitir ou utilizar documento que saiba ou deva saber falso ou inexato;

V – negar ou deixar de fornecer, quando obrigatório, nota fiscal ou documento equivalente, relativa a venda de mercadoria ou prestação de serviço, efetivamente realizada, ou fornecê-la em desacordo com a legislação.

Pena – reclusão de 2 a 5 ano e multa.

Parágrafo único. A falta de atendimento da exigência da autoridade, no prazo de 10 dias, que poderá ser convertido em horas em razão de maior ou menor complexidade da matéria ou da dificuldade quanto ao atendimento da exigência, caracteriza a infração prevista no inciso.

Art. 2º Constitui crime da mesma natureza: (Vide Lei nº 9.964, de 10.4.2000)

I – fazer declaração falsa ou omitir declaração sobre rendas, bens, ou fatos, ou empregar outra fraude , para eximir-se, total ou parcialmente, de pagamento de tributo;

II – deixar de recolher, no prazo legal, valor de tributo ou de contribuição social, descontando ou cobrando, na qualidade de sujeito passivo de obrigação e que deveria recolher aos cofres públicos;

III – exigir, pagar ou receber, para si ou para o contribuinte beneficiário, qualquer porcentagem sobre a parcela dedutível ou deduzida de imposto ou de contribuição como incentivo fiscal;

IV – deixar de aplicar, ou aplicar em desacordo com o estatuído, incentivo fiscal ou parcelas de imposto liberadas por órgãos ou entidade de desenvolvimento;

V – utilizar ou divulgar programa de processamento de dados que permita ao sujeito passivo da obrigação tributária possuir informação contábil diversa daquela que é, por lei, fornecida à Fazenda Pública.

Pena – detenção, de 6 meses a 2 anos e multa.”

POR QUE O PRAZO DE GUARDA DE XML

Caso a empresa falhe em cumprir com a obrigação de armazenar documentos fiscais por 5 anos, conforme manda a lei, ELA PODE SER PUNIDA.

Sem a posse da nota fiscal, sua empresa não poderá, por exemplo, vender equipamentos que não usa mais, pois ela não possui mais o comprovante fiscal desses bens para entregar ao novo comprador. Guardar as notas fiscais é importante para usar as garantias dos produtos que a loja usa ou vende. Pode acontecer também, por exemplo, uma cobrança indevida por parte das concessionárias de água, luz e telefone, tributos como imposto de renda, quitação de aluguel, entre outras.

Do ponto de vista do setor de contabilidade, a sua empresa pode ficar prevenida com as notas fiscais guardadas.

O QUE FAZER CASO VOCÊ PERCA O XML DA NFE

Ocorreu um incidente inesperado na sua empresa, e você perdeu os XMLs das Notas Fiscais Eletrônicas. Como proceder? Existe um meio de recuperar pela Secretária da Fazenda, a SeFaz, nestes casos? Considerando que eles também recebem essas informações? NÃO É POSSÍVEL RECUPERAR OS XMLS PERDIDOS CASO O CONTRIBUINTE NÃO TENHA AS CHAVES DE ACESSO.

A guarda das notas fiscais fica a cargo dos contribuintes, assim como o registro dos documentos eletrônicos. Os recursos necessários para a guarda do documento digital, incluindo backup, têm um custo muito inferior do que a guarda dos documentos físicos, mas caso a empresa tenha armazenado o DOCUMENTO AUXILIAR DE NOTA FISCAL ELETRÔNICA (DANFE) de todas as notas, ainda há a possibilidade de encontrar nesse documento a chave de acesso necessária para recuperação do arquivo XML.

A empresa é responsável pelo documento e hoje há formas mais fáceis de manter-se em ordem com o Fisco.

Há aplicações que permitem a consulta de NFes sem chave de acesso dos último 90 dias, centralizando os documentos fiscais em um só lugar com acesso para toda a empresa, diminuindo o trabalho de contadores. Então, quanto antes começar a utilizar a gestão de documentos, melhor.

A NFe é o arquivo XML assinado digitalmente agregado com a sua respectiva autorização de uso. Ela deve ser armazenada no mesmo formato que foi transmitida e autorizada.

A manutenção das informações em banco de dados é decisão do contribuinte envolvido na transação. Os bancos de dados são importantes para as questões operacionais da empresa e mantém a obrigação da guarda do XML da Nota Fiscal Eletrônica.

AS NECESSIDADES COMUNS DA GUARDA DO XML

Considerando a possível multa e os prazos, o problema é a necessidade de organizar XMLs e DANFEs de forma que todas as notas fiscais possam ser encontradas rapidamente. Tempo é dinheiro e é necessário reduzir o risco de perder NFes importantes.

O ideal é que sua companhia armazene notas em um app eficiente e tecnologicamente funcional, que te dê acesso rápido às suas notas num clique. Isso reduz a dependência dos e-mails para receber seus XMLs e trabalhar com mais agilidade na sua empresa.

Num dia de trabalho, algumas empresas podem emitir dezenas de notas fiscais, especialmente no caso das grandes. Isso gera uma grande quantidade de comprovantes em pouco tempo.

Como a legislação brasileira obriga que as empresas armazenem suas notas fiscais pelo espaço de cinco anos, estamos falando de centenas de milhares de documentos fiscais.

Portanto, seja responsável com a documentação tributária contábil para não ter dores de cabeça. Hoje e no futuro. Já notificamos que a Receita Federal está cada vez mais empenhada em identificar fraudes e punir infratores.

O AVANÇO DA TECNOLOGIA E AS EMPRESAS

A tecnologia avança constantemente, tornando tudo mais instantâneo, rápido e prático e é por isso que é fundamental que as empresas acompanhem esses avanços e assim, aumentem suas chances de crescer e se tornarem mais visíveis no mercado.

Atualmente uma empresa não consegue sobreviver ao mercado concorrente, sem tecnologia suficiente para inovar os seus serviços prestados e produtos oferecidos. A tecnologia faz parte da evolução das empresas, desde a revolução industrial em meados do século XVIII, na qual resultou em um profundo impacto no processo produtivo, atingindo tanto os níveis econômicos e sociais, como o contínuo processo de evolução e inovação tecnológica do século que vivemos, ressaltando que sem tecnologia a empresa se torna decadente e recíproca.

A inovação não deve ser somente pela lucratividade, mas também pela sustentabilidade e responsabilidade, devemos utilizar a tecnologia para nos mantermos sustentáveis no meio ambiente e socialmente.

Esses avanços não vieram com o intuito de substituir o homem, mas sim, ajudar no processo produtivo e na diminuição dos custos e da poluição.

A tecnologia, portanto, trouxe para o mundo corporativo uma melhoria substancial nas atividades cotidianas. Cada vez mais essa evolução facilita a execução das tarefas e garante maior segurança na realização das operações corporativas.

A tecnologia trouxe uma série de benefícios, entre eles podemos citar:

  • Agilidade – maior rapidez na execução de tarefas;
  • Padronização – permite que as tarefas sejam padronizadas, documentadas e controladas, possibilitando a manutenção no mesmo nível de qualidade;
  • Melhoria nos processos – os processos são mais bem elaborados;
  • Redução de custos – custos de produção e administrativos são reduzidos;
  • Segurança nas informações – a manipulação dos dados é minimizada, o que fornece maior segurança em todas as etapas do negócio;
  • Confiabilidade – credibilidade nos processos e nas informações aumenta;
  • Auxílio na tomada de decisões.

A tecnologia nos aproxima das pessoas e das empresas, usá-la de forma consciente e eficaz possibilita o crescimento das empresas. A tecnologia, hoje, é uma parceira que, se bem utilizada, pode trazer bom frutos.

Você já conhece os serviços e sistemas da Windsoft?  Nos conheça um pouco mais.

A importância da Integração ERP & E-Commerce para suas vendas

 

Essa integração entre a plataforma de e-commerce a um ERP, reduz o tempo de execução dos processos internos da loja, consequentemente, otimizando o tempo e interferindo diretamente no desempenho da empresa perante o consumidor. A integração pode ser pensada para dois modelos de negócio, lojas físicas que já adotam esse sistema internamente e desejam integrá-lo à loja virtual e lojas que operam apenas online. É necessário contar com uma plataforma de e-commerce que aceite a integração!

Essa troca de informações ocorre em dois sentidos, podendo se dar com o envio das informações do ERP para a plataforma ou, em sentido contrário. Tal relação simbiótica oportuniza um aumento na eficiência operacional para o e-commerce, melhorando a capacidade de atendimento aos consumidoers e tornando os processos internos mais fáceis de serem concretizados.

A integração melhora a gestão

Lidar com duas ferramentas diferentes, um sistema de gestão empresarial e uma plataforma e-commerce sem qualquer conexão exige um trabalho dobrado. Mas, por outro lado, se você possibilita a integração entre ERP e e-commerce, liquida todo o trabalho manual do processo, facilitando, assim, o fluxo de informações entre as áreas do negócio. Com as informações sendo distribuídas de forma automática, deixa-se de correr riscos em relação a erros de lançamento e falhas humanas.

A integração traz também mais agilidade na hora de analisar os resultados do negócio, podendo assim, tomar quaisquer decisões com mais propriedade.

A automatização traz produtividade

Um dos maiores benefícios é o aumento de produtividade da equipe de trabalho, que deixa de realizar atividades repetitivas e demoradas por conta da automatização das tarefas, através da tecnologia desenvolvida pela integração entre a plataforma e o sistema de gestão.

O processamento das informações (desde o pedido até a entrega do produto) é realizado quase que instantaneamente, garantindo a atualização dos sistemas e fornecendo ao consumidor informações em tempo real sobre o status da compra, tornando mais fácil a solução de quaisquer problemas que venham a ocorrer nos estágios desse processo, para que não afete a satisfação do cliente.

A ferramenta economiza recursos

A operação de um e-commerce é muito complexa e cheia de detalhes e por isso, muitas vezes, gera um custo alto para o empreendedor. Mas com o ERP integrado à sua plataforma, esse custo pode ser reduzido pela otimização dos processos e o aumento de eficiência conquistada com essa tecnologia.

Uma grande economia é feita, pois, a maioria dos processos passa a ocorrer de forma automática, dispensando a necessidade de uma equipe grande. E também, podemos dispensar a aquisição e uso de vários materiais corriqueiros e simples, porém que sobem o orçamento, como papel e toner, por exemplo.

Mais organização e fidelização dos clientes.

A integração feita traz a padronização dos processos com mais facilidade, tornando mais prática a organização pela equipe. Como no ERP os processos ocorrem sempre da mesma forma, os colaboradores se habituam a realizar as atividades de acordo com essas melhores práticas, eliminando os vícios previamente adquiridos.

Além de os relatórios gerenciais, que também passam a ser padronizados, fornecem dados de alta qualidade para que a administração consiga tomar suas decisões estratégicas com muito mais segurança.

Utilizando as informações coletadas a partir da plataforma de e-commerce, pode-se criar um banco de dados sobre seu público-alvo e utilizar tal conhecimento no desenvolvimento de estratégias de marketing mais assertivas. Assim, a fidelização dos clientes atuais dá um grande salto, além da possibilidade de atrair novos consumidores. E se o ERP contar com um módulo de automação de marketing, fica ainda mais fácil manter um relacionamente próximo com os clientes, seja enviando newsletter, informativos, promoções ou conteúdos diversos.

Agora que você já sabe todos os benefícios que essa integração pode te trazer, está na hora otimizar seus processos e dar um UP na sua empresa. Venha fazer uma experiência conosco!